Eduardo Bolsonaro se estranha com Deputado Junior Bozzella em aeroporto

Contrariando a meteorologia, o clima esquentou na noite de ontem no aeroporto de Congonhas (São Paulo)

Um encontro “desfavorável” entre o Deputado Federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o também Deputado Federal Júnior Bozzella (PSL-SP), ‘colegas de sigla partidária’, foi o estopim de uma confusão que foi parar na Delegacia de Polícia Civil da Capital Paulista.

Segundo relatado por Bozzella em entrevista concedida ao blog O Antagonista, este teria sido verbalmente agredido e ameaçado por Bolsonaro logo no desembarque, que, segundo suas afirmações, teria ameaçando-o de morte diretamente.

“Ao descer do avião, ele, de forma deselegante, que lhe é peculiar, que não tem nada de família ou de patriota, veio me agredir verbalmente e fez ameaças mais pesadas.” – Bozzella.

Bozzella, em entrevista por vídeo ao O Antagonista, espezinha o filho do Presidente chamando-o de “office-boy de luxo de Olavo [de Carvalho]” e realiza outras provocações, dignas das desavenças que possui contra o chamado Zero Um, conforme pode ser conferido no link abaixo.

https://www.oantagonista.com/videos/eduardo-e-office-boy-de-luxo-de-olavo-diz-deputado-junior-bozzella/

Por sua vez, o filho do Presidente da República rebateu com veemência as afirmações feitas pelo correligionário partidário através de um vídeo gravado em frente a 27ª Delegacia de Polícia Civil da Capital Paulista e afirma ter feito um boletim de ocorrência contra Bozzella, por supostos crimes cometidos contra a sua honra ao afirmar fato que, segundo o deputado, jamais teriam ocorrido.

Não é de hoje que as rusgas entre ambos acontecem.  Bozzella (vice-presidente nacional do PSL e presidente do PSL SP) é um aliado de Luciano Bivar (presidente nacional do PSL) e ambos figuraram uma briga jurídica pelo controle do partido, que acabou resultando no rompimento dos deputados da chamada ‘Ala Bolsonarista’ com a ‘Ala Bivarista’, num imbróglio com punições partidárias que vão de censura a suspensão da atividade partidária dos parlamentares ligados ao Presidente da República.

Vamos ver como tudo isso irá terminar.