Governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Wietzel sofre impeachment

O agora ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Wietzel (PSC), é afastado do cargo por denúncias de corrupção e irregularidades na secretaria da saúde, inclusive na condução da pandemia, tem o seu desfecho julgado pelo Tribunal Especial Misto que é composto por 5 membros do judiciário (desembargadores), e 5 assembleia legislativa.  O quórum para determinar o afastamento do governador é de 2/3 e já possui os votos necessários para a remoção definitiva do cargo.

O julgamento do impeachment começou na manhã desta sexta-feira (30), no plenário do Tribunal Pleno do TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro). O TEM (Tribunal Especial Misto) determinou o destino do réu, que agora, poderá ficar inelegível por até cinco anos.  A dosimetria da pena será determinada após o julgamento de todos os membros do colegiado especial.

Os desembargadores votantes são Teresa Castro Neves, Maria da Glória Bandeira de Mello, Inês da Trindade, José Carlos Maldonado e Fernando Foch. Já os deputados estaduais, além do relator do processo, Waldeck Carneiro (PT), serão Alexandre Freitas (Novo), Chico Machado (PSD), Dani Monteiro (PSOL) e Carlos Macedo (REP).

“A improbidade administrativa resta sobejamente demonstrada em ambas as imputações de forma inquestionável, com todas as suas nuances, posto que, vilipendiando a moral, a ética e os princípios basilares da boa administração, pautou o acusado com total escárnio, desapego e sordidez em relação à coisa pública, atingindo de forma indireta e direta todos os cidadãos”, afirmou o desembargador Maldonado.