Entre Americana e Santa Bárbara, veja qual tem os piores números para Covid-19

A reposta imediata é Santa Bárbara d’Oeste. Os maus indicadores não são, em números relativos, muito piores que os apresentados por Americana. Mas indicam que o enfrentamento ao coronavírus tem sido mais difícil em terras barbarenses.

Não estamos levantando as razões que levam a cidade paulista a ter maiores dificuldades, mas se levarmos em consideração as características da pandemia não podemos deixar de considerar curioso que Santa Bárbara d’Oeste tem densidade demográfica inferior à metade da cidade de Americana.

Dados tabulados por pesquisador da UFV – Universidade Federal de Viçosa, e coletados conforme as secretarias estaduais fazem as atualizações, mostram os seguintes indicadores:

 

Mortes por 100 mil habitantes

Americana – 204,94 (De todas as cidades ao redor de Americana, apenas Nova Odessa apresenta números levemente piores).

Santa Bárbara d’Oeste – 248,47 (esse indicador coloca a cidade em condição pior que todos os municípios que fazem fronteira: Americana, Nova Odessa, Sumaré, Monte Mor, Capivari, Rio das Pedras, Piracicaba e Limeira).

 

Letalidade (Relação de mortes pelo número de infectados)

Americana – 3,1%

Santa Bárbara d’Oeste – 3,31%

 

Aqui precisamos acender um alerta, a média nacional é de 2,40%. Ainda nesse quesito, Santa Bárbara d’Oeste mostra resultados de letalidade piores que todos os municípios ao seu redor.

 

Casos por 100 mil habitantes

Americana – 6.616,86

Santa Bárbara d’Oeste – 7.515,3

 

Esses números podem ser conferidos pelo sítio eletrônico do G1 notícias AQUI. As atualizações são constantes.

OPINIÃO - Colunistas

O ponto de vista preciso e afiado sobre os fatos mais importantes por nossos colunistas. As opiniões registradas por eles de caráter pessoal e não refletem necessariamente o pensamento deste veículo de comunicação.