Escassez global de chips atrasa e até paralisa produção de eletrônicos no Brasil.

No ano de 2020 vimos uma alta demanda por produtos eletrônicos no mercado mundial, devido à chegada do COVID-19 muitas empresas se viram obrigadas a colocar seus funcionários em regime Home Office, ocasionando assim um crescimento na busca por produtos de tecnologia, fazendo com que vários produtos ou “sumissem” dos estoques ou atingissem um acréscimo de preço considerável em relação aos anos passados.

Devido a isso muitas empresas passaram a fechar as fábricas durante um período em consequência da pandemia, isso fez com que a crise por “chips”, que já estava tomando proporções enormes, tivesse uma alta muito maior, de acordo com a Abinee (Associação da Indústria Elétrica e Eletrônica) cerca de 12% das fábricas do setor eletrônico no Brasil tiveram setores paralisados na produção de produtos por efeito da insuficiência de semicondutores e chips (processadores etc.).

Um dos fatores que contribuem com essa escassez de semicondutores vem além da carência de insumos, a dificuldade de se ter um ambiente apropriado para a fabricação dos mesmos, já que esses locais, além de contar com tecnologias de última geração, necessitam de áreas extremamente limpas e organizadas, para se compreender como esses espaços são raros, eles custam cerca de 104 bilhões de reais (na cotação atual) ou 20 bilhões de dólares para serem construídos.

Conseguimos ver isso pela deficiência na entrega dos novos consoles (PS5 e Xbox Series X) no mercado dos games, o aumento na demanda por esses produtos fazem com que a maior parte do tempo eles se encontram indisponíveis nas maiores lojas de produtos eletrônicos do Brasil, alguns casos como placas de vídeo subiram o preço muito acima do normal, um exemplo é a placa de vídeo GTX 1050 Ti que em 2019 estava custando cerca de R$ 845,00, a mesma nesse ano (2021) se encontra por volta dos R$ 2.600,00 fazendo com que o preço subisse quase 300% em relação ao valor normal no ano de 2019 (vale lembrar que no caso das placas de vídeo o preço aumentou mais que o normal devido aos mineradores de bitcoin usarem as placas para conseguirem minerar seus bitcoins).

A maior parte do setor aposta que essa crise dos chips irá até o segundo trimestre de 2022, ou seja, ficaremos com carência de alguns produtos eletrônicos durante um bom período ainda.

Fonte : InfoMoney

OPINIÃO - Colunistas

O ponto de vista preciso e afiado sobre os fatos mais importantes por nossos colunistas. As opiniões registradas por eles de caráter pessoal e não refletem necessariamente o pensamento deste veículo de comunicação.