O Piu é bronze: Alison dos Santos conquista pódio em prova com incrível recorde mundial de Warholm

Em prova histórica dos 400m com barreiras masculino, norueguês anota 45,94 e brasileiro de 21 anos faz história no atletismo brasileiro

Aos 21 anos de idade, Alison dos Santos grava seu nome na história do atletismo brasileiro. O irreverente “Piu” conquistou a medalha de bronze na fortíssima prova dos 400m com barreiras em Tóquio 2020 em 2021, com o tempo de 46,72, mais uma vez o melhor da sua carreira e recorde sul-americano.

O norueguês Karsten Warholm confirmou o favoritismo e aniquilou o seu próprio recorde mundial, com 45,94. Responsável por acabar em julho com uma das marcas mundiais mais antigas do atletismo masculino, que durava 29 anos, o atleta de 25 anos agora também se coloca como recordista Olímpico e mostra que sua dominância está apenas começando.

A prata foi do americano Rai Benjamin, com 46,17. Warholm e Benjamin fizeram os dois melhores tempos da história e Alison fez o quarto.

O bronze de Piu é a 18ª medalha Olímpica da história do atletismo brasileiro, 10ª de bronze. É a medalha que representa a esperança na nova geração, a ousadia e alegria característica do brasileiro e a superação de quem precisou lutar pela própria vida antes de completar um ano de idade.

Alison sofreu um acidente com uma frigideira com óleo quente aos 10 meses de idade e ficou dois meses no hospital se recuperando. Quando começou no atletismo, ele usava um boné para esconder a sua cicatriz. Porém, seu talento deu a autoconfiança que vemos nos últimos anos de sua ascensão meteórica no atletismo.

Após quebrar o recorde sul-americano diversas vezes e subir ao pódio com 21, a melhor parte da história é saber que Alison ainda terá muitos Jogos Olímpicos pela frente.

“Eu só voltaria para casa depois de cumprir a missão dada.”

– Alison dos Santos à TV Globo

Piu também ficou em choque com o tempo sem precedentes de Warholm: “Quando eu vi no telão que era 45, eu pensei que estava na prova errada”.

Salto triplo: Pichardo se classifica em primeiro e Évora se lesiona

Portugal teve uma classificatória do salto triplo masculino com boas e más notícias. Um dos candidatos ao pódio, Pedro Pichardo se classificou para a final com a melhor marca, 17,71m, 58cm acima do segundo colocado (o turco Necati Er). Ele possui o melhor salto do ano, 17,92m, e é um dos cinco atletas da história da prova a saltar acima de 18 metros. Precisando apenas de 17,05m para se classificar, Pichardo decidiu impressionar os adversários com uma marca digna de final.

Já o campeão de Beijing 2008, Nelson Évora, está fora da briga por medalhas. Com dores, ele conseguiu saltar apenas 15,39m, longe da marca necessária para a final. Tiago Pereira também ficou fora, bem como os brasileiros Mateus de Sá e Alexsandro Melo.

No salto triplo feminino, Portugal ficou com a prata com Patricia Mamona.