Professora Juliana e Felipe Corá, O Carioba explica os fatos.

Para entender a situação que está se tornando manchete na imprensa local. O caso tem desdobramentos políticos e jurídicos.

Felipe Corá (Patriota) é vereador na cidade de Santa Bárbara D’Oeste, eleito com discurso de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido). Professora Juliana (PT) é vereadora na cidade de Americana, sua base é ligada a movimentos sociais. Ambos eleitos no ano passado, estão em seus primeiros mandatos.

No dia 27 de julho, Corá fez postagens permanentes, retiradas do ar na manhã desta quarta-feira (04/08), e de curta duração no Facebook e no Instagram, os populares stories. As postagens tratam-se de um vídeo, gravado em seu gabinete legislativo, no qual o vereador crítica a parlamentar americanense por sua posição contrária ao, por ele chamado, tratamento precoce contra o novo coronavírus.

No vídeo, Corá diz que Professora Juliana “deveria tomar vergonha na cara, é fanfarrona, faz parte dos culpados por demonizar o tratamento precoce, serem os verdadeiros negacionistas, defende o aborto, a ideologia de gênero, passa a mão na cabeça de bandido e vagabundo, que a cidade de Americana tem vergonha de ter uma vereadora como ela e que deveria lavar a boca com ácido sulfúrico antes de falar de Jair Bolsonaro, que ela é uma vergonha”. (Esse é um resumo do conteúdo do vídeo gravado pelo vereador barbarense).

Até o momento em que estava no ar, o vídeo possuía 146 compartilhamentos no Facebook e 1300 curtidas no Instagram, com comentários majoritariamente escritos por apoiadores de Bolsonaro.

Nos dias seguintes, a vereadora recebeu diversos apoios. Notas de repúdio e publicações em apoio. Do Partido dos Trabalhadores, do PDT, do PSOL, além de deputados e até mesmo de parlamentar da Câmara de Santa Bárbara D’Oeste.

A petista oficiou ao presidente da Câmara de Santa Bárbara D’Oeste, Joel Cardoso, para que a Comissão de Ética da Casa apure o fato.

Na terça-feira (03/08), o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o vereador retirasse os vídeos do ar. A decisão foi noticiada pela Folha de São Paulo, na coluna de Mônica Bergamo. A vereadora ainda pede indenização por danos morais, valor que será revertido para ações de combate à violência contra mulheres.

Após a repercussão, Felipe Corá fez publicação em seu Instagram na qual acusa censura, “a vereadora Juliana do PT de Americana tem usado os braços da esquerda na imprensa para me atacar. Disse e reitero, que essa vereadora petista lave a boca antes de falar do presidente Jair Bolsonaro e do tratamento precoce”, tudo escrito em caixa alta.