Boxe: Beatriz Ferreira e Hebert de Sousa na final Olímpica em Tóquio 2020

Já com bronze ganho em Tóquio 2020, boxe brasileiro se prepara para combates que valem ouro no peso-leve, com Beatriz Ferreira, e no peso-médio, com Hebert Sousa

Pelo terceiro combate consecutivo em Tóquio 2020 Beatriz Ferreira deu show na Arena Kokugikan. A boxeadora baiana voltou a vencer por decisão unânime e confirmou seu favoritismo para a medalha de ouro, certificando a classificação para a final perante uma das rivais teoricamente mais perigosas, Mira Potkonen.

A finlandesa foi duas vezes ao tapete no segundo round e sofreu demais perante o boxe variado e impetuoso de Beatriz Ferreira, que ganhou sem deixar margem para dúvidas. Entre a brasileira e o ouro está agora a irlandesa Kellie Anne Harrington, campeã mundial em 2018, que sofreu para ganhar da tailandesa Sudaporn Seesondee.

A final do peso-leve feminino está programada para dia 8 de agosto às 2:00 (horário de Brasília).

“Eu quero (a medalha) dourada, vou brigar até o fim. Vamos adiante, vamos subir no pódio, ficar no lugar mais alto e ouvir o nosso hino. Vai ser difícil tirar ela de mim. Treinei o tempo todo pra isso”. Reação de Beatriz Ferreira logo após ser anunciada a vencedora.

Hebert Sousa eliminou Gleb Bakshi na semifinal de peso-médio em Tóquio 2020
Hebert Sousa eliminou Gleb Bakshi na semifinal de peso-médio em Tóquio 2020 Foto: 2021 Getty Images
Duas finais e duas medalhas garantidas para o boxe brasileiro

O boxe masculino brasileiro também continua se apresentando em grande nível. No peso-médio, Hebert Sousa confirmou a presença na final Olímpica vencendo seu combate contra Gleb Bakshi (ROC).

Outro produto da tradicional escola baiana, Hebert Sousa entrou forte, pressionando o rival e contrariando o favoritismo de Bakshi venceu por 4-1 o primeiro assalto. O campeão mundial russo respondeu com um boxe muito sólido, disciplinado, mas sem conseguir anular a direita do brasileiro o que valeu novamente um 4-1 no cartão dos juízes para o baiano.

Aos 23 anos, Hebert Sousa combateu como um autêntico veterano. Controlou o russo e anulou completamente um grande campeão como Gleb Bakshi. Na hora da decisão não houve festejo eufórico. Com a mesma tranquilidade com que se apresentou no ringue, Hebert Sousa parecia ter já na cabeça o combate pela medalha de ouro onde vai enfrentar o ucraniano Oleksandr Khyzhniak, bicampeão europeu de peso-médio, no dia 7 de agosto às 2:45 (horário de Brasília).

“Acredite sempre no seu potencial que as coisas acontecem. Estamos juntos. Salvador, Bahia”, disse Hebert Sousa na celebração após a terceira vitória em Tóquio 2020.

Duas finais e duas medalhas garantidas para o boxe brasileiro em Tóquio 2020, para juntar ao bronze vencido por Abner Teixeira no peso-pesado.