Retumbante fracasso do MBL na manifestação, não há terceira via.

 

O Movimento Brasil Livre (MBL) não tem muito a comemorar, o passado de glórias durante as manifestações pelo impedimento da presidente Dilma ficou no passado. Agora que ingressaram a elite parlamentar do país, as ruas já não lhe atendem ao chamado como antes.

Claro que nunca devemos deslegitimar manifestações democráticas, nesse ponto nada há de errado em ir às ruas. Mas seria desonesto não assumir que tais manifestações têm evidente caráter eleitoral. E se há caráter eleitoral, então podemos presumir que o tamanho da chamada ‘terceira via de centro ou terceira via liberal’ é ínfimo.

O que mostra, na prática, a veracidade das pesquisas eleitorais.

De antemão, muitos se desassociaram do que viria a ocorrer na tarde deste último domingo (12). PT e PSOL, e todas as demais forças similares, deixaram claro que não fariam parte do oba-oba liberal.

O liberalismo, em seu estado puro, mostrou sua força no país. E mais que isso: só havia corpo nos coros de 2013-2016 porque se misturavam ali toda complexa heterogeneidade de pensamentos políticos. Desde então, nunca mais.

O brasileiro preza mais pelo conservadorismo nos costumes que o liberalismo na economia. Ao menos quando engaja politicamente. E é preciso compreender isso antes de se propor uma terceira via.

Quem ganha. Lula e Bolsonaro.

Se as manifestações de domingo foram um recado a Lula e Bolsonaro, então é mais que óbvio: essas duas forças agradecem. Até então, apenas os números das pesquisas eleitorais ecoavam o tamanho de toda oposição a essas duas forças. Agora o diminuto se materializou.

O que falta agora é a esquerda organizada mostrar sua força. Mas já ficou claro, o Brasil está encurralado entre duas opções. E cada vez mais em duas opções, e cada vez mais resistentes duas opções.

O MBL e o Partido Novo deixaram isso bem claro para todos.

OPINIÃO - Colunistas

O ponto de vista preciso e afiado sobre os fatos mais importantes por nossos colunistas. As opiniões registradas por eles de caráter pessoal e não refletem necessariamente o pensamento deste veículo de comunicação.

× Como posso te ajudar?