Congestionamentos frequentes incomodam moradores e usuários da Av. Bandeirantes

A av. Bandeirantes há muitos anos vem tendo aumentado o fluxo de usuários da via.  Inicialmente apenas com o conjunto habitacional Guaicurus, apesar de ser um empreendimento com grande impacto urbano, não havia tanta demanda de recursos viários, mas o fato é que a realidade de hoje é totalmente diferente daquela de 30 anos passados.

Com obras iniciadas ainda na gestão de Carrol Meneghell e nunca concluídas, já se previa o crescimento da cidade para aquela área, do bairro Chácaras Machadinho.  Pouco após o Guaicurus, o SESI – Serviço Social da Indústria, instalou-se no local com escola e área esportiva, e muitos empreendimentos habitacionais e industriais foram se avolumando e aumentando o uso da avenida, que hoje gera transtornos para moradores e usuários da região com seus constantes congestionamentos.

Previa-se, no fim da década de 1980, a utilização da via com maior volume de veículos e para isso um projeto urbanístico foi pensado e teve sua execução iniciada, sendo a instalação de um viaduto com 4 alças (que foi executado pela metade), o alargamento da avenida nas duas margens do Ribeirão Quilombo, igualmente não realizado de acordo com o projeto, e uma avenida projetada que ligaria esse ponto até a av. Nossa Senhora de Fátima.

Hoje, o cidadão americanense sofre com o impacto gerado pela falta de continuidade daquelas obras que teriam deixado a cidade com maior fluidez e aliviaria significativamente os diversos pontos de congestionamento que há em horários de pico, não apenas naquele ponto, mas também nas vias que ligam os viadutos Amadeu Elias e Ralph Biasi (viaduto centenário).

O fato atual é que com o retorno presencial às aulas e o paulatino retorno da atividade econômica com as indústrias retomando a normalidade produtiva, voltou-se a ter uma grande demanda sobre o fluxo de veículos, em especial nessa via, o que trouxe de volta os velhos transtornos.

Volta às Aulas

Outro ponto que tem gerado queixas, é a concentração da entrada dos alunos na escola Sesi por apenas um portão, que está causando aglomeração de adultos e crianças.

O pai de um dos alunos que frequentam a escola, que procurou pelo O Carioba, sugeriu que a escola passasse a utilizar também o segundo portão, como uma solução para agilizar a entrada dos alunos e também não causar aglomerações, em especial nesse período pandêmico.

Mídias Sociais

Em seu perfil pessoal nas mídias sociais, o vereador Marschelo Meche afirma ter tido o seu gabinete procurado por cidadãos locais que queixaram-se desse conhecido problema.

“O meu gabinete foi procurado por muitos moradores da nossa cidade relatando a situação do tráfego na Avenida Bandeirantes, na região do Loteamento Industrial Machadinho. Sabemos que em momentos de pico é comum as avenidas ficarem com congestionamento por alguns momentos, mas os moradores reivindicam atuação e gestão do poder público municipal. As imagens mostram uma situação bem caótica.”

Segundo o Vereador, seu gabinete está documentando os impactos dessa região e estará em seguida elaborando um documento para pedir especial atenção da Prefeitura para a busca de uma solução para este problema.