Bolsonaro afirma que Moraes quebrou sigilo do seu ajudante de ordens

‘Foi quebrado sigilo telefônico do meu ajudante de ordens na questão de vazamentos’, disse o presidente

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta quarta-feira, 16, que o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes quebrou o sigilo telefônico de seu ajudante de ordens.

A medida teria sido tomada no inquérito que investiga se o chefe do Executivo divulgou informações sigilosas de uma investigação sobre ataque às urnas eletrônicas.

A declaração foi dada durante entrevista ao programa “Os Pingos nos Is” da Jovem Pan. Bolsonaro está na Rússia em agenda oficial e amanhã seguirá para a Hungria.

“Para mim foi uma surpresa quando recebemos por escrito um pedido de audiência do Fachin juntamente com o ministro Alexandre, que tem vários inquéritos contra mim, contra meu ajudante de ordens.”

“Foi quebrado sigilo telefônico do meu ajudante de ordens na questão de vazamentos, e isso permitiu a Moraes ter acesso a troca de mensagens entre mim e o ajudante de ordens”, completou.

Bolsonaro afirmou que sua agenda tem um grau de sigilo ultrassecreto e que a medida foi tomada para ter acesso às informações nacionais. “Usou subterfúgio para chegar à minha pessoa”, declarou.

Eleições

Em resposta à declaração do ministro do STF Edson Fachin de que Justiça Eleitoral “já pode estar sob ataque de hackers” — o ministro citou a Rússia como a origem da maior parte dessa ofensiva — Bolsonaro disse não saber o porquê do “ataque gratuito ao país onde o chefe de Estado está presente”.

Bolsonaro aproveitou para reforçar que as Forças Armadas vão analisar os esclarecimentos dados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diante dos questionamentos enviados à Corte sobre o funcionamento do sistema eleitoral.

“Ou nós vamos concordar, ou discordar totalmente, de forma técnica”, disse. “Estamos aguardando o que as Forças Armadas dirão sobre os documentos que o TSE enviou”, completou.

Revista Oeste