As cinco piores formas de se morrer, segundo a ciência

Dupla de especialistas analisou as maneiras mais terríveis de perder a vida, seja pela duração ou pela dor física

 

Uma dupla de especialistas pesquisou quais seriam as piores formas de se morrer, seja pelo tempo de duração ou pela dor física que uma pessoa suportaria. O cientista sênior do museu Exploratium, de San Francisco, Paul Doherty, e a escritora independente Cody Cassidy afirmaram que estas são as maneiras mais terríveis de perder a vida:

Fome

Prato vazio

Segundo os cientistas, quando uma pessoa fica privada de comida durante muito tempo, o corpo começa lentamente a se atacar para sobreviver. Como forma de não morrer, o corpo recorre à gordura do fígado e dos tecidos. De lá, passa para os músculos, até que o sistema imunológico começa a falhar e a pessoa morre rapidamente.

Queda de um elevador

Elevador caindo

Os especialistas dizem que, na queda, órgãos podem escapar do corpo e membros podem se quebrar. No entanto, a empresa de elevadores Icon informou que há uma maneira de sobreviver à queda: você deve deitar de costas, com as mãos no rosto. Assim, as costelas poderiam amortecer o impacto e as mãos ajudariam a proteger o rosto.

Morrer queimado

Bombeiro combate incêndio

O fogo, uma vez em contato com o corpo, leva apenas 10 segundos para consumir todos os pelos do corpo e queimar a pele. É uma das mortes mais dolorosas:  os globos oculares podem sair de suas órbitas, os nervos começar a chamuscar, e a vítima sufoca até morrer.

Ser morto por um acelerador de partículas

Onda de gravidade abstrata

Embora não seja uma das mortes mais recorrentes (na verdade, um homem passou por isso e sobreviveu), a experiência seria terrível. Colocar a cabeça em um acelerador de partículas não geraria uma morte instantânea, mas poderia deixar sequelas irreversíveis que possivelmente se transformariam em paralisia de várias regiões do corpo ou intoxicação por radiação.

Deixar de dormir

Homem com insônia

Às vezes, “morrer de sono” não é apenas uma expressão para dizer que alguém está exausto. Existe uma rara doença neurológica hereditária chamada insônia fatal familiar (IFF). Especialistas afirmam que a pessoa que sofre desse mal perde o juízo e sofre uma deterioração da memória. Depois, começa a enxergar borrado e o mau humor e a instabilidade aumentam. Ao longo do tempo, as funções motoras dos pacientes também se deterioram. Por fim, eles caem em uma espécie de estado de coma e morrem.

History Channel