YouTube atualiza políticas para combater fake news eleitoral

Uma importante atualização nas políticas de integridade eleitoral do YouTube para o Brasil foi anunciada nesta terça-feira (22). De acordo com a plataforma de vídeos do Google, a mudança visa reduzir a disseminação de informações falsas relacionadas às eleições.

Seguindo a mesma linha das alterações adotadas nos processos eleitorais dos Estados Unidos e da Alemanha, a empresa ampliou as diretrizes já existentes, tornando a análise dos vídeos mais rigorosa. Dessa forma, poderão ser removidos conteúdos que enganem os eleitores sobre horário, local e requisitos falsos para votar.

Fake news que objetivam fazer a população desistir de votar, como as alegações falsas de que as urnas eletrônicas teriam sido hackeadas em 2018, também serão excluídas. O mesmo vale para a desinformação com a finalidade de atingir a qualificação dos candidatos ou políticos em exercício.

O YouTube promete fechar o cerco contra a desinformação sobre as eleições.
YouTube promete fechar o cerco contra a desinformação sobre as eleições. Fonte:  TSE/Divulgação

O Conteúdos incitando o público a interferir em processos democráticos, atrapalhando quem está tentando votar, são outros que passam a ser proibidos pelo YouTube. Segundo a big tech, as normas atualizadas da plataforma vão valer para criadores de todas as vertentes políticas.

Priorizando fontes confiáveis

A atualização das políticas de integridade eleitoral também será notada por quem efetuar pesquisas sobre o pleito no YouTube. Nas buscas por temas como “eleições brasileiras 2022”, a plataforma vai priorizar a exibição de fontes confiáveis nos resultados e na seção “assista a seguir”.

Painéis de informações na parte superior dos resultados ou abaixo dos vídeos relacionados são outra novidade. Neles, o internauta encontrará links para fontes sem ligação com partidos, onde poderá encontrar dados relevantes.

Painéis de informações vão aparecer nas pesquisas sobre as eleições.
Painel de informações vão aparecer nas pesquisas sobre as eleições. Fonte:  YouTube/Divulgação

Se você pesquisar “título de eleitor”, por exemplo, visualizará um link para o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), podendo solucionar dúvidas como onde tirar o título, como transferir ou alterá-lo. Os painéis são semelhantes aos já utilizados em temas como a covid-19 e a chegada do homem à Lua.

Outras ações também estão sendo tomadas pela plataforma para combater as fake news eleitorais, como o ajuste do sistema de recomendações, reduzindo o alcance de vídeos que violam as diretrizes da comunidade. Segundo a Google, o objetivo é manter as visualizações de conteúdos duvidosos abaixo de 0,5%.

Tecmundo