Gato que sobreviveu a bombardeio é adotado pelo Ministério de Assuntos Internos da Ucrânia

As imagens do gatinho encontrado embaixo de escombros após um bombardeio em Borodyanka, na Ucrânia, viralizaram em todo o mundo. A sobrevivência do animal é considerada por muitos um verdadeiro milagre, um raio de esperança e o sinal que o amor, a pureza e a inocência ainda estão acima dos interesses mesquinhos dos senhores da guerra. O gatinho ainda não ganhou um nome, mas já tem um lar e muitos tutores. Ele foi adotado por toda a equipe do Ministério de Assuntos Internos da Ucrânia.

Anton Gerashchenko, conselheiro do ministério, divulgou a notícia nas suas redes sociais. “Lembra-se do gato sobrevivente de Borodianka? Mandaram-me uma feliz continuação da história dele! Ele agora vive no Ministério da Administração Interna, alimentado , banhado e amado. Ele participará de todas as reuniões importantes, é claro”, disse em seu Twitter. Gerashchenko sempre apoiou manifestações em defesa dos animais e posta imagens do gatingo com frequência.


Outro gatinho famoso

O mundialmente famoso gatinho ucraniano Stepan conseguiu fugir em segurança do seu país natal, assolado pela guerra há mais de 30 dias, e fixou um novo lar na França, mas não deixou de inspirar apoio para os animais que ainda estão na Ucrânia em situação de vulnerabilidade. A partir da página no Instagram do gatinho, a tutora do animal, Anna, iniciou uma campanha para arrecadar recursos para ajudar os animais que estão em abrigos ucranianos. Até o momento, ela angariou 9.090 euros (cerca de R$ 50.000).

Entenda

O gatinho Stepan é uma celebridade ucraniana conhecida em todo o mundo. Ele tem 13 anos e mais de 1,1 milhão de seguidores. Os fãs do gato ficaram muito preocupados quando as contas de Stepan nas redes sociais pararam de ser atualizadas no dia 3 de março. Os seguidores do gatinho estavam mobilizando campanhas on-line para descobrir o paradeiro dele e, na última quarta-feira (16), puderam finalmente respirar aliviados ao descobrir que Stepan está em segurança na França.

O gatinho e sua família conseguiram embarcar em um trem a caminho da Ucrânia graças a uma corrente de apoio formada pelas redes sociais. “Quando você tem tantos seguidores, você pode usá-los como uma rede para fornecer ajuda, encontrar abrigo ou até mesmo ajudar a encontrar rotas de fuga em uma zona de guerra. Ter uma rede online o ajudará a sobreviver a tempos difíceis”, disse Mohamad Taufiq Morshidi, ex-angariador de fundos da Muslim Aid Malaysia.

A tutora do gatinho, Anna, usa as redes sociais para compartilhar a rotina de Stepan. Ele ficou tão famoso que tem entre os seus fãs Britney Spears, Diane Kruger e Hailey Bieber. O gato de listras pretas e marrons também foi estrela de uma campanha da grife Valentino. Stepan e Anna conseguiram sair do país graças a ajuda da World Influencers and Bloggers Association (Associação Mundial de Influenciadores e Blogueiros, em tradução livre).

A associação conseguiu retirá-los da Polônia e como Stepan estava com todas as documentações em dia, conseguiu entrar na França, onde está instalado em um confortável apartamento. Anna afirma que Stepan ainda está se adaptando. Diante da notícia, muitos fãs fizeram postagens comemorando a segurança do gatinho e torcendo para que ele, em breve, possa retornar para a Ucrânia e retomar seus dias repletos de alegria, que inspiram pessoas em várias partes do mundo.

Nem todos têm a mesma sorte

Ativistas em defesa dos direitos animais que estão arriscando as próprias vidas nas zonas de guerra da Ucrânia para resgatar animais que se perderam dos seus tutores durante bombardeios estão realizando uma campanha virtual para que os cães e gatos salvos sejam devolvidos às suas famílias em segurança. Diariamente, voluntários estão dirigindo por milhares de quilômetros em estradas perigosas para levar animais até as fronteiras para reencontrar seus tutores que estão refugiados nos países vizinhos.

O grupo de ativistas Breaking Chains assumiu o compromisso de atuar no front, na linha de frente, resgatando animais feridos e assustados que se esconderam em meio aos escombros com medo das explosões. “Estamos trabalhando para reunir animais com pessoas que perderam seus maridos, perderam seus filhos, perderam suas casas, perderam seu país, perderam seus empregos – esses refugiados não têm nada além do amor que têm por esses animais, que são parte da família”, disse um porta-voz.

O representante do grupo disse que está há uma semana sem dormir e tomar banho, mal tem tempo para se alimentar, pois cada segundo é crucial para os animais que estão em zonas de risco. O Breaking Chains conta com o apoio de ativistas e ex-militares britânicos que foram ao local voluntariamente. Até agora, 120 animais já foram resgatados e entregues aos seus tutores. Além de salvar cães e gatos, o grupo também está ajudando seres humanos e crianças.