Professores de Sumaré participam de capacitação para utilizarem lousa digital

Atividades serão realizadas até sexta-feira (25) e deve envolver cerca de 1,2 mil profissionais em atuação na rede municipal de ensino

Cerca de 1,2 mil professores da Secretaria de Educação de Sumaré participam nesta semana de uma formação sobre as lousas digitais implantadas nas escolas da rede municipal de ensino. A ferramenta começou a ser distribuída às unidades em fevereiro deste ano e a previsão é que passem a ser utilizadas nas aulas ainda neste semestre.

De acordo com a diretora do CEFEMS (Centro de Formação de Educadores Municipais de Sumaré) “Prof. Leovigildo Duarte Júnior”, Márcia Tognete Rocha, a formação teve início da segunda-feira (25) e vai até sexta-feira (30) e o objetivo é familiarizar os profissionais com o equipamento, além de apresentar as possibilidades de uso das lousas no processo de aprendizagem dos estudantes.

“Sumaré está se tornando um polo tecnológico quando se trata de educação. Já fizemos a sensibilização dos professores quanto ao uso da gamificação e agora os profissionais estão passando pelas capacitações para uso das lousas digitais e aulas de programação e robótica. Há uma expectativa positiva dos professores para conhecer a parte técnica e as possibilidades de uso dos equipamentos”, comenta.

As lousas são do modelo Quadriline, possuem telas com touchscreen de alta precisão  e funcionam com o software Quadribook, da Movplan – empresa que também é responsável pela assistência técnica do equipamento. Por meio do software é possível acessar ferramentas de escrita, desenho, gráficos, animações, captura de imagem, gravação de tela e áudio, além de contarem com caneta inteligente, entre outros recursos.

“Apenas 6% das salas de instituições de ensino no Brasil possuem lousas digitais e os benefícios da adoção do equipamento é muito relevante. Há a otimização do tempo durante as aulas, um maior rendimento dos alunos e uma ampliação das possibilidades dos professores”, comenta o formador Caíque Alves, responsável pela capacitação. Ele afirma que o curso é divido em dois módulos: o primeiro disponibiliza aos professores informações técnicas sobre as lousas, enquanto o segundo é composto por orientações sobre a utilização do software.

Professora há 32 anos, 17 deles na rede municipal de Sumaré, Arlete Duarte Rodrigues, da EM (Escola Municipal) José de Anchieta, no Jardim São Carlos, diz estar ansiosa pelo início das aulas usando o equipamento. “Estou gostando muito da capacitação. A lousa vem para facilitar a vida do professor e expandir as possibilidades didáticas”, comenta.