Aprenda a cadastrar o celular para recuperá-lo em caso de roubo

Infelizmente, algumas precauções ainda precisam ser tomadas para sair por aí com o celular e evitar furto, roubo ou assalto. Na verdade, não dá bem para evitar a violência urbana sozinho, só escondendo ou com seguro nos aparelhos. Mas, é possível cadastrar o IMEI do smartphone para reavê-lo caso algo do tipo aconteça.

Esse tipo de programa existe através de algumas secretarias de segurança dos estados brasileiros. Em Pernambuco, por exemplo, 2.431 celulares roubados foram devolvidos aos donos em um mutirão do Alerta Celular realizado nesta quarta-feira (27), de 6 mil aparelhos roubados ou furtados no estado durante os três primeiros meses.

O cadastro para recuperar o celular em caso de roubo reduziu também o comércio de smartphones roubados. Isso porque quem for encontrado com um telefone adquirido de maneira ilícita é autuado pelo crime de receptação, graças ao programa.

Em São Paulo, cerca de 30% dos crimes de roubo e furto têm smartphones como alvo. O IMEI, número de cada aparelho celular (há modelos com mais de um código), é registrado apenas no boletim de ocorrência e dá para bloquear também na operadora. Então, é importante saber o código.

Assim, antes de cadastrar como precaução ou mesmo anotar em algum lugar, é preciso saber como descobrir o IMEI. É possível encontrá-lo na caixa ou nota fiscal do telefone. Caso não tenha mais nada disso, digite no teclado do smartphone *#06#. O código de 15 dígitos aparecerá na tela.

O sistema da Anatel para bloquear celulares parece não ter solucionado o problema do alto número de furtos e roubos em São Paulo. Em muitos casos, as pessoas não têm o IMEI do aparelho para bloqueá-lo. Pensando nisso, o estado pretende utilizar um cadastro prévio com códigos de identificação de celulares.

A nova ferramenta está nos planos da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A ideia é permitir que os celulares sejam cadastrados em um site, junto a informações pessoais e a identificação dos aparelhos. Com esses dados, ficaria mais fácil não apenas o bloqueio, como também a devolução em caso de recuperação.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo disse que a inspiração é o programa Alerta Celular, desenvolvido pelo governo de Pernambuco. Em 2017, a ferramenta ajudou a devolver 58% dos celulares roubados aos proprietários.

Nesta etapa de criação do sistema, técnicos dos dois governos estão trocando informações sobre como ele seria implementado em São Paulo. O cadastro prévio deverá ser integrado ao sistema usado para informar furto e roubo do aparelho. Mesmo depois do lançamento do novo sistema, o registro do boletim de ocorrência continuará sendo necessário.

Desde o ano passado, o estado de São Paulo utiliza o Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI). O sistema permite que celulares sejam bloqueados junto à Anatel e sem a intermediação da operadora.