Inquérito apura veracidade de foto em que chefe do Estado-Maior Geral da PM do Pará aparece nu

Uma imagem em que o chefe do Estado-Maior Geral da Polícia Militar do Pará, coronel Marcelo Ronald Botelho de Souza, aparece nu virou alvo de um inquérito policial militar (IPM) instaurado pela corregedoria da PM. A suspeita é que a foto tenha sido feita em um gabinete da corporação.

A imagem começou a circular pela internet na última sexta-feira (13), mostrando o oficial olhando para o lado, sentado em uma mesa, rodeada de cadeiras, usando apenas uma camisa vermelha e com as partes íntimas à mostra. No mesmo dia, o inquérito foi instaurado para apuração.

A foto do militar nu está sendo periciada pela Polícia Científica a pedido do Ministério Público, e o prazo para conclusão do inquérito é de 40 dias.

Segundo o promotor de Justiça Militar que acompanha o caso, Armando Brasil, se for confirmado que a foto é verdadeira e que foi feita no gabinete, fica caracterizado crime de atentado violento ao pudor, previsto no Código Penal Militar. A pena poderia chegar a 5 anos de reclusão.

O g1 tentou falar diretamente com o coronel, mas obteve apenas o posicionamento da PM, que afirmou que Botelho de Souza foi “vítima da divulgação da fake news” e que “já registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de crimes cibernéticos que vai investigar o ocorrido”.

A Polícia Militar afirma ainda que uma sindicância já foi instaurada para apurar o caso. A promotoria militar acompanha o caso e diz, em nota, que aguarda o resultado do inquérito antes de decidir se abre uma investigação junto ao Ministério Público.

Logo após a viralização, outra imagem, editada de forma grosseira, passou a circular nas redes sociais com o coronel da PM vestindo calças.