Vereadores propõem utilização de símbolo universal de acessibilidade para atender deficiências ocultas

Os vereadores Leco Soares (Podemos) e Silvio Dourado (PL) protocolaram na secretaria da Câmara Municipal de Americana um projeto de lei em que autorizam o Poder Executivo a utilizar o símbolo universal de acessibilidade da Organização das Nações Unidas (ONU), juntamente com o símbolo internacional de acesso, em todos os locais que possibilitem acesso, circulação e utilização por pessoas portadoras de deficiência. A medida também vale para todos os serviços colocados à sua disposição ou que possibilitem o seu uso, incluindo a sinalização de trânsito que identifica vagas de estacionamento regulamentado.

Durante a elaboração do projeto os parlamentares debateram com pessoas que precisam utilizar as vagas mas, por possuírem deficiências ocultas, sofrem constrangimentos com a situação. A proposta tem como objetivo levar ao conhecimento da população que pessoas com deficiências ocultas também têm o direito de utilizar as vagas de estacionamento regulamentado.

Para os autores, a utilização do símbolo universal de acessibilidade na sinalização de trânsito e em adesivos nos veículos facilitará a identificação, evitando constrangimentos às pessoas. Na terça-feira (17), os vereadores se reuniram com as advogadas Érica Bodemeier e Rebeca Erdmann,  da comissão de Direito das Pessoas com Deficiência e de Acessibilidade da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Americana para apresentar e discutir o projeto.

“Ocorre que a acessibilidade se tornou não somente uma questão para deficientes físicos, mas para uma gama de deficiências que, na maioria das vezes, não têm nenhuma conexão com motricidade”, argumentam os vereadores na exposição de motivos do projeto de lei. “Deficiência auditiva, visual ou cognitiva são imperceptíveis fisicamente, e a utilização de um símbolo que caracteriza apenas o aspecto físico da deficiência não consegue mais representar um grupo tão heterogêneo”, completam.

O projeto de lei será encaminhado às comissões pertinentes e, não havendo impedimento legal para sua tramitação, será discutido e votado pelos vereadores em plenário durante sessão ordinária.