CDHU abre inscrições para sorteio de moradias em Mogi Guaçu

Processo vai até 29 de junho; para participar, é necessário morar ou trabalhar em Mogi Guaçu há pelo menos cinco anos

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, abre inscrições para o sorteio de 31 moradias na cidade de Mogi Guaçu. O processo será por meio de aplicativo de celular Kaizala ou pela Internet no site da CDHU. As inscrições poderão ser efetuadas a partir de dia 20 até o dia 29 de junho.

Os interessados em concorrer a um dos imóveis deverão acessar o site da CDHU (cdhu.sp.gov.br), clicar no banner “Faça agora a sua inscrição” e seguir as instruções. O interessado deve selecionar o empreendimento Mogi Guaçu P e optar por fazer a inscrição no próprio site ou pelo aplicativo de celular Kaizala.

Será válida somente uma inscrição por família. Aqueles que participaram de outros sorteios da CDHU no município e não foram contemplados agora devem fazer nova inscrição pelo aplicativo de celular ou pela internet.

O sorteio público definirá os titulares e os suplentes para aquisição das moradias. Do total de unidades, três serão destinadas a pessoas com deficiência, duas a idosos, duas a policiais ou agentes penitenciários e uma para indivíduos que moram sozinhos. Quatro moradias estão destinadas a famílias com renda acima de cinco até dez salários mínimos. As demais unidades serão sorteadas entre a população em geral inscrita, com renda de até cinco salários mínimos.

Para concorrer aos imóveis do empreendimento Mogi Guaçu P, o interessado deve morar ou trabalhar no município há pelo menos cinco anos, ter renda familiar de um a dez salários mínimos, não ser proprietário de imóvel, não possuir financiamento habitacional e não ter sido atendido anteriormente por programas habitacionais. Policiais devem trabalhar na cidade e idosos devem comprovar idade mínima de 60 anos.

As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro, distribuídos em 47,87 mde área útil. O conjunto está sendo edificado no Loteamento Jardim Araucaria. O empreendimento é viabilizado por meio da CDHU em parceria com a prefeitura.

O financiamento dos imóveis seguirá as novas diretrizes da Política Habitacional do Estado, que preveem juros zero para famílias com renda mensal de até cinco salários mínimos. Assim, as famílias pagarão praticamente o mesmo valor ao longo dos trinta anos de contrato, que sofrerá apenas a correção monetária calculada pelo IPCA, o índice oficial do IBGE. O valor das parcelas é calculado levando-se em conta a renda das famílias, que podem comprometer, no máximo, 20% dos rendimentos mensais com as prestações.