5 dicas para mitigar riscos e ainda economizar energia elétrica

Especialista aponta soluções para prevenção de acidentes e que podem reduzir custo da cobrança de luz

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, nesta terça-feira (28/06), reajuste de 12,04% de energia elétrica no estado de São Paulo. A medida, que passa a valer a partir do dia 4 de julho, deve aumentar ainda mais o valor das contas de luz. Na prática, moradores de baixa tensão (estabelecimentos comerciais e residências, por exemplo) terão um aumento de 10,15%.

Mas não é só a questão financeira que preocupa. Quando se trata de energia elétrica, todo cuidado é válido, principalmente no inverno. O uso excessivo de chuveiros elétricos, aquecedores, secadores de cabelo e sistemas a gás podem aumentar as chances de um acidente doméstico, como choques e incêndios.

O risco é diminuído exponencialmente com a atuação de um profissional da Engenharia desde o projeto à manutenção de casas e prédios, o que vale também para espaços comerciais. Afinal, a precaução de contar com um responsável técnico por essas atividades pode significar menos custos com consertos inesperados.

Ciente desse cenário, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo (Crea-SP) elencou cinco dicas práticas para aliviar o bolso e garantir a segurança do consumidor.
Confira:
1. Contrate um profissional com registro no Crea-SP

A presença de um profissional que possa avaliar as condições das instalações elétricas é vital para evitar ligações inadequadas que acarretam condutores sobrecarregados, gerando superaquecimento e, consequentemente, maior consumo de energia e maiores chances de acidentes. “É muito importante contratar um profissional habilitado para realizar qualquer alteração nos componentes elétricos dentro de um ambiente. O especialista preparado possui todos os conhecimentos técnicos para lidar com essas situações”, explica o Eng. Eletricista José Antônio Bueno, coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica do Crea-SP.
2. Saiba quais eletrodomésticos gastam mais energia

Máquinas de secar, fornos elétricos, secadores de cabelo, aquecedores e chuveiros elétricos são os equipamentos que mais consomem energia e aos quais o consumidor precisa ficar atento. “Cada eletrodoméstico possui uma potência diferente, ou seja, a quantidade de quilowatts gastas por hora varia de produto para produto. Por isso, métodos simples como deixar, na medida do possível, as temperaturas no mínimo, vão ajudar a consumir menos energia e economizar na conta de luz”, avalia o engenheiro.
3. Atenção aos cabos e disjuntores

“Um dos principais problemas do consumo excessivo de energia elétrica, seja em residências, comércios ou indústrias, é o fato de os cabos estarem sobrecarregados, acarretando a perda de potência elétrica”, aponta Bueno. “Em casas mais antigas, por exemplo, é comum a aquisição de equipamentos novos sem realizar a avaliação da condição do condutor, que não aguenta a carga”, pontua. Dessa maneira, uma avaliação é crucial para evitar acidentes.
4. Evite “improvisos”

Os famosos “jeitinhos” podem prejudicar ainda mais a saúde da fiação. “É fundamental se atentar às instalações elétricas de tempos em tempos e verificar a condição dos componentes. Sobrecarregar uma única tomada ou utilizar equipamentos como “Ts” ou “Benjamins” é muito perigoso. Caso seja necessário utilizar eletrodomésticos em um único lugar, opte por um filtro de linha, feito para esses casos. Mas atenção: “geladeiras, fogões, máquinas de lavar e micro-ondas precisam de tomadas isoladas e com capacidade de carga compatível com a potência do aparelho”, enfatiza Bueno.
5. Não desconfigure os plugs e as tomadas

É muito comum que as pessoas cortem o terceiro pino que vem na tomada. Segundo o Eng. Eletric., essa atitude pode prejudicar não só o funcionamento do eletrodoméstico, como também torná-lo mais propenso a acidentes. “O ideal é sempre manter as tomadas que apresentam o fio de aterramento, o chamado fio terra, pois é ele que tem a capacidade de expelir o choque e proteger durante o uso”, diz. “Existem aparelhos que vão demandar apenas dois fios e outros que apresentarão três. O certo é o que vem de fábrica e é muito importante que a tomada acompanhe o plug do aparelho”, finaliza.