Fundo Social de Nova Odessa dá início ao curso básico de corte e costura pela Escola de Moda

O Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Nova Odessa, em parceria com a Escola de Moda do Fussesp (Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo), deu início na terça-feira (05/07) ao Curso Básico de Corte e Costura da Escola de Moda, uma parceria com o Fussesp (Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo). Ao todo, dez mulheres novaodessenses com idades entre 27 e 59 anos estão participando das aulas de qualificação profissional, que acontecerão toda terça, das 13h às 17h.

Durante as 60h de capacitação, as participantes terão noções de costura básica às técnicas de costura para consertos, entre outras, visando a geração de renda para chefes de família da cidade.

A presidente voluntária do Fundo Social, Rose Miranda, deu as boas-vindas e disse estar muito feliz com o início módulo, e que será o primeiro de muitos que o órgão tem a oferecer.

“A gente oferece a ferramenta, mas o sucesso depende de vocês. A Escola de Moda é um projeto de qualificação profissional cuja finalidade é garantir aos moradores a oportunidade de se qualificarem para obter uma renda. O objetivo deste curso é ajudá-las a obter a independência financeira”, disse Rose, ao entregar um kit contendo camiseta, apostila de costureiro e mimo para cada uma das participantes.

A apostila traz uma linguagem acessível e metodologia adequada a adultos e jovens, já quem a intenção é melhorar a capacidade de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, ou seja, abrir horizontes e colaborar com quem está à procura de novas e melhores oportunidades.

O foco é atender as pessoas em situação de vulnerabilidade social. Com duração de 60 horas/aula, o curso básico de corte e costura (módulo básico) está sob a orientação da professora Beth Ramos. O término está previsto para o início de outubro.

As alunas estão empolgadas. “Achei que fosse encontrar somente senhorinhas aqui no curso, mas me surpreendi com uma turma bem nova, com mulheres novas. A costura é uma profissão que vem sendo renovada e essa é a nossa chance de aprender a costurar”, comentou Francisca Bezerra, de 47 anos, moradora no Jardim Santa Rosa.

Aos 31 anos, Tamires Fernanda de Almeida Pupo, que reside no Jardim Nossa Senhora de Fátima, quer aprender a costurar. “Ganhei a máquina, não tenho noção alguma, mas tenho certeza de que vou sair daqui com mais essa capacitação, porque a Beth é excelente professora”, diz. Tamires já participou de outro curso – arte em feltro, Módulo Páscoa – também ofertado gratuitamente pelo Fundo Social.