Prefeitura de Nova Odessa sedia exposição sobre a Revolução Constitucionalista de 1932

Em homenagem ao feriado estadual deste 09 de julho, quando é lembrada a Revolução Constitucionalista de 1932, o Departamento de Cultura e Turismo da Prefeitura de Nova Odessa inaugurou nesta terça-feira (05/07), no saguão do Paço Municipal, uma exposição com imagens e objetos que relembram e fizeram parte desse período da História no Estado de São Paulo, bem como a participação do herói novaodessense Aristeu Valente no conflito.

A visitação é gratuita, disponível das 09h às 16h, até a próxima sexta-feira (08/07), um dia antes da comemoração da data. “Notamos que nossos moradores gostam bastante de conhecer a História e muitos nem se lembram sobre o que significam essas datas, então é bem importante para nós realizarmos essas ações”, afirmou o responsável pelo Departamento de Cultura e Turismo, Carlos Eduardo Pinotti Jr.

Segundo a historiadora e colaboradora Ana Paula Freitas, as causas e motivações da Revolução de 1932 são controversas, por haver um grande interesse da elite cafeeira paulista em recuperar o poder após a Revolução de 1930 e a ascensão do presidente Getúlio Vargas ao poder. No entanto, a campanha que foi feita para alistamento atingiu e impactou jovens rapazes de famílias trabalhadoras e oriundos de todas as partes do Estado de São Paulo.

“Foram esses jovens que morreram e se feriram em combate para defender o ideal em que acreditavam, e essas lutas e mortes jamais devem ser esquecidas. Por isso, é muito importante homenagear a memória daqueles que estiveram na linha de frente durante a Revolução de 1932, especialmente porque tivemos um grande contingente de jovens de nossa região dentre os combatentes”, afirmou a historiadora.

ARISTEU VALENTE

Até então um distrito de Americana, Nova Odessa enviou para a batalha 13 jovens, que se apresentaram voluntariamente para defender São Paulo. Foram eles Alberto Bartolo, Antônio Prado, Aristeu Valente, Benedito de Camargo, Eduardo da Silva, Faustino de Moraes, Fausto Moraes, Francisco de Souza, Joaquim Rodrigues Azenha, Martholino Teixeira Filho, Roberto Whitehead, Shano Jorge Sprogis e Theodomiro Delegá.

Dentre esses rapazes, o novaodessense Aristeu Valente, que na época havia 21 anos, foi o único que morreu durante o combate, no dia 18 de agosto de 1932, durante um conflito armado no Bairro dos Francos, divisa entre Lindóia/SP e Monte Sião/MG.

Seu corpo foi trazido para a cidade de Americana no mesmo ano, sendo seus restos mortais transferidos para Nova Odessa em 1968, onde foi feita uma grande homenagem. Para os interessados, é possível visitar o túmulo de Aristeu Valente no Cemitério Municipal, sendo o primeiro jazigo da entrada principal.