Agora a Nasa vem: Ford KaLicóptero prova que céu é o limite para brasileiro

Fora de linha desde o ano passado, quando a Ford encerrou a fabricação de veículos no Brasil., o Ka definitivamente não é referência em termos de esportividade. Contrariando a fama de carro frugal e sem graça, um exemplar da primeira geração do hatch é tão arrojado que tem até hélices instaladas no teto.

O veículo inusitado aparece em um vídeo que viralizou nas redes e instiga a imaginação. A cabine da suposta aeronave é uma adaptação da carroceria do Ka, só que virada ao contrário: a traseira do hatch, incluindo as respectivas lanternas, tornou-se a frente da criação, que está guardada em uma espécie de garagem.

O KaLicóptero é um exemplo clássico da capacidade dos brasileiros de transformar carros mesclando peças de diferentes modelos. Não por acaso, dizem que nossas criatividade e capacidade de improviso deveriam ser estudadas pelos cientistas da Nasa, a avançada agência espacial norte-americana.

Como não poderia deixar de ser, a invenção tem cauda, cuja extremidade aparenta trazer um rotor – na gravação, a parte traseira está parcialmente encoberta por um plástico preto.

O vídeo mostra, ainda, parte do interior do KaLicóptero, equipado com banco central e volante cortado para lembrar o manche de aeronaves ou a polêmica direção do badalado Tesla Model S Plaid.

É preciso admitir que a traseira arredondada e inclinada do Ka funcionou bem como a dianteira de um helicóptero.

Vale destacar que a primeira geração do compacto é apontada por entusiastas como a mais divertida, sobretudo na versão XR 1.6, equipada com motor 1.6 de 95 cv.

Isso não impediu uma chuva de piadas na seção de comentários das muitas publicações do vídeo que têm circulado na internet.

“Eu quero saber quem vai ser o corajoso para dar uma volta”, disse um internauta.

“Se tirar as hélices e o trem de pouso, vira um girino”, brincou outro.

“O Brasil não é para amadores”, comentou uma terceira pessoa.

Será que voa?

Muitos questionam se o KaLicóptero seria capaz de voar.

A julgar pelas imagens, não parece ser o caso: as hélices, na verdade, são tubos encobertos por chapas metálicas e soldados em um cano preso ao teto.

Quando o interior é exibido, também dá para perceber que não existe um motor para girar as hélices.

Ao que tudo indica, trata-se de um projeto para decoração ou exposições. Não sabemos mais detalhes, como o local e a data nos quais o vídeo foi produzido.

UOL